Pesquisa

5 avanços da medicina que aumentam a qualidade de vida na nova idade

qualidade de vida na nova idade: jovem e senhor mexendo em impressora 3d
21/10/2019
3 minutos de leitura

De acordo com dados da OMS, o número de indivíduos com idade superior a 60 anos chegará na casa dos 2 bilhões até 2050, representando um quinto da população mundial. Esse aumento, divulgado também pelo IBGE, evidencia o envelhecimento gradativo da sociedade. Diante desse cenário, é crucial que a medicina tenha mais atenção aos cuidados de saúde que a nova idade demanda.

Felizmente, os avanços tecnológicos alcançados por essa área não deixam a desejar. O fato é que já é possível observar diversas mudanças na prática e isso tende a mudar a forma como diagnósticos e prognósticos são feitos, inclusive aumentando a expectativa de vida dos pacientes.

Neste artigo, vamos entender melhor como os impactos da tecnologia podem influenciar a qualidade de vida na nova idade. Além disso, vamos mostrar algumas tendências na medicina que podem impulsionar esses benefícios. Confira!

1. Aplicativos de saúde

Uma boa qualidade de vida na nova idade depende de bons hábitos na juventude. Por isso, os smartphones têm recebido diversas propostas e estratégias de saúde digital via aplicativos. O objetivo é incentivar a manutenção de boas práticas desde cedo, bem como a reeducação alimentar, prática de atividades físicas e ingestão da quantidade ideal de água.

Também é possível monitorar a quantidade de passos dados por dia, calcular o IMC (Índice de Massa Corporal), lembrar a pessoa de tomar o medicamento receitado e até solicitar atendimento médico de emergência em segundos.

Além disso, os aplicativos são igualmente úteis para os familiares dos pacientes. As informações coletadas por esses serviços digitais (como localização, hábitos e dados dos usuários) podem ser transmitidas aos médicos ou cuidadores para que saibam como o corpo de alguém é afetado à medida que consome um determinado medicamento ou realiza suas atividades do dia a dia.

Os aplicativos também permitem que os membros da família acompanhem de perto e cuidem daqueles que sofrem de Alzheimer ou demência senil — que demandam um cuidado mais próximo e atento.

Em suas formas mais simples, os aplicativos também ajudam a promover a saúde mental. De acordo com uma pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, o maior medo da nova idade é a solidão, que também representa um fator de risco para doenças como a depressão e estresse.

Felizmente, alguns desses softwares incentivam a sociabilidade e convivência (como WhatsApp e Skype), aproximando até familiares e amigos distantes. Outros, como Lumosity e Elevate, são especializados em ginástica cerebral para melhorar o raciocínio e a memória, prevenindo danos cognitivos.

2. Evolução da indústria farmacêutica

Um estudo promovido pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos apontou que que cerca de 40% das pessoas acima de 60 anos tomam 5 ou mais medicamentos prescritos por um médico regularmente.

Felizmente, a medicina farmacêutica evolui cada vez mais seus processos de análise e síntese (ou seja: a produção de novas substâncias) em laboratório. Assim, é possível obter medicações mais eficazes, com menos efeitos colaterais e até efeitos preventivos.

Um exemplo está na liberação da Anvisa, em 2018, de um novo fármaco capaz de combater o câncer de mama, em especial em casos mais avançados. Outra novidade na indústria farmacêutica diz respeito aos medicamentos capazes de atuarem diretamente no DNA, com o intuito de combater tumores cancerígenos. Isso significa que, em vez de impactar o órgão atingido, a medicação age apenas no DNA da doença, evitando efeitos nocivos ao organismo.

A tendência é que cada vez mais descobertas como essa sejam incorporadas como soluções no dia a dia dos pacientes, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida na nova idade.

3. Telemedicina

qualidade de vida na nova idade: casal de senhores olhando tablet e pesquisando sobre telemedicina

A telemedicina consiste na interação entre paciente e equipe médica à distância, com o suporte de tecnologias próprias para o acompanhamento remoto. Junto com as videoconferências, funcionam como um complemento dos tratamentos presenciais e são cada vez mais utilizadas principalmente por pacientes particulares, a fim de reduzir custos e até mesmo contar com a opinião de diversos tipos de especialistas em busca de atendimentos mais eficazes.

Embora nem sempre seja possível substituir uma consulta tradicional, os recursos da telemedicina têm se mostrado um grande diferencial para a saúde de muitas pessoas. Afinal, garantem atendimento personalizado e acessível com muita economia de tempo, tanto para os médicos quanto pacientes. Dessa forma, um profissional de saúde pode atender uma pessoa que esteja viajando, por exemplo, prevenindo situações de risco.

4. Impressões 3D

Se você ainda não ouviu falar das impressoras 3D, tratam-se de máquinas parecidas com as encontradas nos escritórios. Porém, em vez de imprimirem tinta em papel, esses aparelhos são capazes de criar objetos físicos com precisão, a partir de modelos criados em computador.

Essa inovação se tornou, rapidamente, uma das tecnologias mais impressionantes do mercado. Hoje, ela pode ser usada para criar implantes e próteses para serem usadas em cirurgias. Os suportes impressos em 3D são cada vez mais populares, pois são totalmente personalizados e permitem a adaptação total com as necessidades e medidas de cada pessoa. Ou seja, tudo para que ela possa usufruir de mais conforto e mobilidade.

O uso das impressoras 3D também pode criar itens duradouros e solúveis. Um exemplo é a possível “impressão” de cápsulas que contêm vários medicamentos, ajudando os pacientes com a organização, o tempo e o monitoramento de todos os remédios que precisam tomar.

5. Cirurgias robóticas

A realização de cirurgias feitas por robôs, consideradas menos invasivas pela medicina, já se tornaram uma realidade mundial devido às suas vantagens: os procedimentos de alta complexidade podem ser realizados com mais precisão, menores riscos de infecção e recuperação mais rápida (em virtude de cortes menores).

No Brasil, há 41 robôs voltados para a área cirúrgica, em sua maioria localizados em hospitais com tecnologia de ponta e até mesmo em algumas unidades do SUS. Os principais procedimentos realizados por eles são as cirurgias urológicas, bariátricas e ginecológicas.

O sistema público de saúde aguarda a chegada de mais recursos similares para a realização de todos os tipos de cirurgias. Além disso, também se esperam mais avanços tecnológicos para esses tipos de equipamentos, tornando-os mais integrados e versáteis. Esse é um bom exemplo de tecnologia e medicina trabalhando juntas.

Como você pode perceber, a qualidade de vida na nova idade se beneficia bastante dos avanços da tecnologia. Felizmente, já é possível contar com recursos inovadores para manter a independência e saúde nessa fase.

Gostou do artigo? Então não deixe de assinar a nossa newsletter para continuar por dentro de conteúdos como este e receber todas as novidades do blog em primeira mão, no seu e-mail.

Powered by Rock Convert
Tags:

Compartilhe:

“A Nova Idade não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos frequentadores do portal. A Nova Idade repudia qualquer forma de manifestação com conteúdo discriminatório ou preconceituoso.”

Você pode se interessar também:

  Desenvolvido por Ventron