Pesquisa

Pneumonia em idosos: especialista comenta sobre casos e tratamentos

pneumonia em idosos
03/04/2020
1 minuto de leitura

A pneumonia em idosos se trata de uma infecção, tanto viral quanto bacteriana, que afeta o sistema respiratório e dificulta diversas funções do organismo, até mesmo em órgãos além do pulmão.

De início, os seus sinais se assemelham muito com os da gripe. No entanto, um grande diferencial desse problema é que a pneumonia costuma se manifestar por um período maior. Portanto, caso tenha notado a persistência dos sintomas por mais de 3 dias e nenhum traço de melhora, saiba que esse pode ser um grande indicativo da infecção e a procura por um médico é imprescindível.

Neste post, vamos apresentar os principais riscos da pneumonia na nova idade e dar algumas dicas de como se prevenir dessa doença. Fique atento a essas informações e evite complicações de saúde!

A pneumonia em idosos

Segundo as informações obtidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a taxa de mortalidade em pessoas acima de 60 anos com pneumonia pode chegar a 30%, principalmente quando não há o diagnóstico e o tratamento corretos da doença. Isso acontece porque indivíduos que pertencem a essa faixa etária estão mais vulneráveis às complicações causadas por esse transtorno.

Durante o envelhecimento, a produção de glóbulos brancos, células de defesa do sangue, passa a se reduzir. Isso faz com que o organismo esteja mais exposto às ameaças externas, como vírus, bactérias, fungos, entre outros. Por essa razão, a vacinação se torna imprescindível para crianças abaixo de 5 anos e pessoas acima de 60 anos, a fim de fortalecer o sistema imunológico contra algumas espécies de microrganismos.

Sintomas como dificuldade respiratória, febre, congestão nasal, coriza, mal-estar, cansaço excessivo e confusão mental podem indicar que o organismo está contaminado por algum agente que provoca a pneumonia — apesar de que os pneumococos (ou seja, as bactérias) são os maiores responsáveis por essa doença.

Quando não é devidamente tratado, o problema pode acarretar também problemas cardiovasculares, como o infarto ou o acidente vascular encefálico (AVE), justamente devido à respiração irregular. Além disso, pode ocorrer também a formação de pus nos pulmões, o que compromete bastante a qualidade de vida de uma pessoa.

Ademais, deve-se evitar a automedicação a todo custo, mesmo que os sintomas indiquem que seja uma gripe. Como visto, a pneumonia tem origem majoritariamente bacteriana, enquanto a outra doença se trata da contaminação pelo vírus influenza. Desse modo, a ingestão de medicações que não tenham sido indicadas por um especialista é capaz de comprometer ainda mais a saúde do paciente.

Os principais fatores de risco

Existem alguns problemas que favorecem a exposição do organismo para esse tipo de infecção ou o agravamento da doença. No geral, são considerados fatores de risco para a pneumonia:

  • desnutrição;
  • contato com pessoas doentes — seja em ambientes como hospitais, seja em casas de repouso;
  • uso indevido de medicamentos;
  • asma e demais problemas respiratórios crônicos;
  • problemas cardiovasculares, como a hipertensão ou a insuficiência cardíaca;
  • alcoolismo e tabagismo;
  • estresse excessivo e ansiedade;
  • diabetes.

Além do mais, existem alguns outros fatores ambientais que podem estimular o surgimento da doença, como ocorre nas estações de clima mais frio (outono e inverno). Isso acontece porque a queda da umidade do ar desidrata as vias aéreas e compromete o bom funcionamento do sistema respiratório, assim como deixa o ar mais propício para a transmissão de bactérias e vírus. Por essa razão, é importante aumentar a prevenção e os cuidados ao entrar em ambientes com muitas pessoas ou que faça uso de ar condicionado.

Principais formas de prevenção

Tendo em vista as complicações que a pneumonia pode trazer na saúde das pessoas na nova idade, torna-se mais que imprescindível buscar por estratégias de prevenção. A seguir, elencamos alguns cuidados que você e sua família podem tomar para evitar essa doença. Confira!

Vá ao médico frequentemente

As visitas frequentes ao médico são importantes para evitar qualquer problema de saúde. As consultas e exames de check-up fazem com que seja possível entender melhor sobre o estado do seu organismo, sabendo o que pode ser feito para prevenir doenças ou iniciar rapidamente o tratamento adequado.

Evite o consumo de álcool e cigarros

O consumo de álcool ou tabaco deixa o organismo mais vulnerável para o contágio de qualquer doença viral ou bacteriana. Por isso, é interessante evitar ao máximo essas substâncias a fim de ter mais bem-estar e qualidade de vida no dia a dia.

Cuide da alimentação

A nutrição é um dos fatores fundamentais para cuidar da sua saúde. Existem alguns alimentos que reforçam o seu sistema imunológico e ajudam a evitar epidemias ou o contágio de doenças que se espalham pelo ar.

Produtos como o alho, gengibre, lichia, iogurtes naturais e diversas ervas que podem ser usadas para fazer chás são alguns exemplos que você pode incluir em sua dieta. Para saber qual é a alimentação mais adequada para o seu estilo de vida, nada melhor que procurar um profissional apto para organizar um cardápio eficiente.

Procure a vacinação

pneumonia em idosos

Pessoas acima de 60 anos devem se proteger com a vacina antipneumocócica. Afinal, ela faz com que o seu corpo fique mais resistente aos danos causados pela bactéria chamada de Streptococcus pneumoniae. Por esse motivo, fique sempre de olho no calendário de imunização oferecido pelo SUS ou procure a vacinação em meios privados.

Aumente a higienização

Adotar novos hábitos de higiene é outro hábito muito eficiente para prevenir doenças contagiosas. Sendo assim, ande sempre com um gel antisséptico na bolsa e faça uso quando encostar em lugares de muito acesso. Além disso, sempre lave as mãos ao chegar em casa e evite tocar os seus olhos, nariz ou boca antes de higienizá-las.

Pondere sobre os lugares que você pretende frequentar

Durante os períodos de alto contágio por doenças infecciosas, como o inverno, é interessante refletir acerca dos lugares que você pretende frequentar. Por exemplo, caso queira ir ao banco ou ao hospital, tente escolher um horário com menos público a fim de ter menos contato com pessoas que possam estar doentes. Ademais, evite multidões para se prevenir de agentes infecciosos.

Dependendo do caso, a pneumonia em idosos pode ser tratada em casa com o uso de antibióticos, sempre seguindo as recomendações do médico. Por isso, é de extrema importância encontrar um profissional qualificado para realizar o acompanhamento de seu estado de saúde e recomendar o tratamento mais adequado.

No entanto, nunca se esqueça de que tomar remédios sem a orientação médica é muito nocivo à sua saúde. Para entender melhor sobre esse assunto, leia também sobre os perigos da automedicação!

Powered by Rock Convert

Você pode se interessar também:

  Desenvolvido por Ventron