Pesquisa

Siga estas 15 dicas de hábitos saudáveis e viva melhor a nova idade

hábitos saudáveis
27/12/2019
1 minuto de leitura

Melhorar a rotina na nova idade e priorizar hábitos saudáveis pode ser o diferencial entre alcançar uma longevidade tranquila ou não. Nessa perspectiva, é necessário compreender o que influencia esse processo, já que é necessário estar atento aos cuidados com a saúde em todos os momentos da vida.

Porém, no período da nova idade, as atitudes e o estilo de vida criam impactos diretos sobre a saúde e influenciam bastante essa etapa da vida. Tendo isso em vista, vamos descrever 15 sugestões de hábitos saudáveis para ter longevidade e tornar essa fase bem mais produtiva, alegre e tranquila. Acompanhe!

Os impactos de uma vida mais saudável na nova idade

Nas últimas décadas, a pirâmide etária brasileira está mudando a sua conformação por causa do aumento da expectativa de vida em nosso país. Segundo o IBGE, a projeção para o ano de 2060 é que o número de jovens seja menor que os das pessoas da nova idade. Esses dados alertam para a necessidade de buscar novas medidas para garantir um envelhecimento mais ativo, saudável e longe de doenças crônicas ou incapacitantes.

Alcançar essa etapa da vida com mais autonomia, independência e saúde é possível — e pode ser bem mais simples do que se imagina. Para isso, as pessoas com mais de 60 anos devem priorizar um estilo de vida saudável e manter firme o propósito de reduzir os impactos dessas alterações típicas do envelhecimento. Alguns desses processos podem não ser evitáveis, mas podem, sim, ser retardados e controlados. Basta ter atitude e disposição para mudar.

Entretanto, para alcançar uma longevidade saudável, é imprescindível ter a clara noção de que o corpo vai sofrer alterações antes que elas apareçam. Reconhecer, precocemente, essas mudanças do corpo ajuda a manter o controle das emoções e a melhorar as perspectivas. Essa conscientização é fundamental, caso surja alguma incapacitação ou limitação associada à nova idade.

Cuidar do corpo e da mente é essencial para tornar o envelhecimento um processo positivo, harmônico, tranquilo e com mais qualidade de vida. Outro aspecto relevante é buscar novas informações e manter-se aberto para descobrir — nessa jornada de envelhecimento saudável —, novas abordagens que promovam o bem-estar mental, físico, emocional e social.

Além disso, listamos outros benefícios que resultam da opção por uma vida mais saudável na nova idade. Veja quais são:

  • diminuir o estresse;
  • fazer novos amigos;
  • ajudar a quem precisa;
  • dormir mais e melhor;
  • melhorar a autoestima;
  • conhecer novos lugares;
  • aprender coisas novas;
  • criar novos laços afetivos;
  • fortalecer a defesa imune;
  • aumentar os vínculos sociais;
  • evitar tabagismo e alcoolismo;
  • trabalhar algumas horas por dia;
  • promover mais energia e otimismo;
  • amenizar os sintomas da depressão;
  • gastar menos dinheiro com remédios;
  • ter saúde, tempo e dinheiro para viajar;
  • retardar o desenvolvimento de doenças;
  • preservar a autonomia e a independência;
  • acompanhar a chegada de netos e bisnetos;
  • ter uma vida plena, feliz e cheia de realizações.

As melhores 15 dicas para ter hábitos saudáveis

Manter hábitos saudáveis é uma prática que precisa ser adaptada ao dia a dia para que, após algum tempo, esses hábitos se transformem em uma rotina igualmente saudável. Listamos algumas sugestões para melhorar a saúde e o bem-estar. Confira!

1. Beber mais água

A maior parte da população não tem o costume de ingerir a quantidade de água que o organismo precisa para desempenhar as suas funções adequadamente. Manter a hidratação necessária é primordial para preservar as funções cerebrais ativas e promover a saúde. Além disso, a água ajuda a manter o controle da pressão arterial, previne cãibras, melhora as funções cardíacas, ativa o intestino, facilita o transporte de nutrientes e deixa a pele mais bonita.

Na nova idade, uma boa sugestão é sempre colocar uma garrafa com água junto de você. Muitas pessoas têm dificuldade de beber água porque nem se lembram disso durante as atividades do dia. Por isso, procure adotar esse hábito e veja como alcançará benefícios em pouco tempo.

2. Cuidar da qualidade do sono

A falta de sono é uma das principais queixas de quem já alcançou a nova idade. Dormir mal ou pouco gera graves prejuízos à saúde. Uma noite mal dormida traz consequências muito negativas em qualquer fase da vida.

Mesmo para quem já passou dos 60 anos e tem tempo para descansar durante o dia, dormir mal gera problemas na atenção, na disposição e no humor.

A má qualidade do sono causa o enfraquecimento do sistema imunológico e o desequilíbrio das emoções — além de aumentar os riscos de problemas como a obesidade, a hipertensão, o derrame cerebral, o câncer e diversas doenças cardíacas. Durante o sono, ocorre a reparação celular que “corrige” algum erro eventual do organismo para impedir o desenvolvimento de certas doenças.

Quem prioriza a boa qualidade do sono eleva as possibilidades de viver mais e melhor. Procure desenvolver hábitos saudáveis para tornar o ambiente mais favorável ao repouso saudável e tranquilo. Evite usar aparelhos eletrônicos algumas horas antes de se deitar.

Igualmente importante é ingerir comidas mais leves à noite. Nesse sentido, pratique o desligamento da mente e relaxe — com isso, verá como consegue dormir melhor e com mais facilidade.

3. Realizar exercícios físicos regularmente

hábitos saudáveis

Todos estão até cansados de saber que a prática de atividades físicas faz bem à saúde e, por isso, esse é um dos hábitos saudáveis mais relevantes. Porém, na nova idade, a fuga do sedentarismo assume uma conotação a mais: fazer exercícios melhora a captação de glicose pela célula, o que reduz doenças típicas da terceira idade, como diabetes, derrame cerebral e problemas cardiovasculares.

Nessa etapa da vida, movimentar o corpo por meio da prática dessas atividades influencia também a saúde mental, o equilíbrio emocional, melhora a coordenação motora, a memória e a concentração. Logo, muitas são as razões pelas quais vale a pena considerar essa sugestão.

Vale destacar que, em cada fase da vida, os exercícios representam benefícios distintos: se na infância ajudam a alongar os ossos e promover o crescimento, para quem já tem um pouco mais de idade, eles são essenciais à prevenção de doenças e à manutenção da autonomia, da independência e da autoestima.

4. Dedicar tempo às atividades voluntárias

Ajudar os outros é a melhor forma de ajudar a si mesmo. O estilo de vida moderno deixa nossas vidas extremamente ocupadas, não é mesmo? Com isso, dificilmente encontramos tempo para pensar no próximo. Na nova idade, muitas pessoas acabam ficando ociosas, principalmente após a aposentadoria.

Por isso, uma das melhores opções para ocupar o tempo com hábitos saudáveis é ser voluntário em alguma das muitas causas sociais de seu município, estado, país ou, quem sabe, até mesmo de outra nação. Os benefícios do voluntariado são enormes tanto para quem ajuda quanto para quem recebe o apoio.

Participar desses programas é uma oportunidade de se envolver em projetos de ajuda humanitária e doar parte de seu tempo para algo benéfico e construtivo. Além da sensação de estar sendo útil e fazendo a diferença na vida de alguém, o trabalho voluntário é uma ótima possibilidade de encontrar amigos da mesma faixa etária ou não.

Certamente, o ato de estender a mão a quem precisa, não somente ajuda a desenvolver habilidades sociais e aprender novas atividades, como protege a saúde física e mental. Na nova idade, essa prática reduz os riscos de doenças como a depressão e minimiza o estresse e a ansiedade.

Portanto, nesse ciclo da vida, a dedicação às atividades voluntárias representa outras importantes vantagens: melhora o humor, eleva a autoconfiança, reforça a autoestima e o senso de autonomia e de utilidade.

5. Ter uma boa gestão financeira

Muitas pessoas acreditam que o dinheiro tem um valor que vai muito além do que se pode ter, pagar ou comprar. Assim, as pessoas que pertencem à nova idade precisam pensar com clareza sobre seus bens e decidir em que compensa mais investir seus recursos financeiros.

Nessa fase da vida, independentemente de onde você reside, há, pelo menos, três opções de escolha quanto ao uso do dinheiro: guardar, gastar ou doar. Ainda que você queira viajar, conhecer novas pessoas e novos lugares, também é sensato considerar a possibilidade de reservar um valor.

Ou seja, ter uma boa gestão financeira também deve ser priorizado como um dos hábitos saudáveis que influenciam a qualidade de vida e o bem-estar na nova idade. Não importa o valor que se tem ou que se ganha periodicamente, o ideal é controlar os gastos e fazer investimentos seguros e que possam garantir a sua tranquilidade, caso surja alguma doença ou adversidade.

6. Priorizar atenção à saúde mental

A transição demográfica brasileira experimentada nos últimos anos trouxe características peculiares e que demonstram a necessidade de se pensar no processo de envelhecimento com uma abordagem bem mais ampla.

Esse processo produz demandas que exigem mais respostas das políticas de saúde. Por isso, torna-se relevante considerar o grupo da nova idade como indivíduos que apresentam necessidades diversificadas, tanto no âmbito físico como no emocional, afetivo e social.

Nesse sentido, um dos novos desafios é priorizar a saúde mental e efetivar intervenções por meio de práticas mais concretas. É preciso assegurar que as pessoas da nova idade tenham mais acesso à assistência de doenças mentais, emocionais ou às disfunções orgânicas a ela associadas.

Ter mais saúde mental é um dos aspectos determinantes para garantir a autonomia, a independência e permitir que aqueles que já passaram dos 60 anos continuem produtivos. Esse suporte é necessário para que essa população cada vez mais representativa possa desempenhar o seu papel social e tornar essa fase da vida tranquila e saudável.

7. Exercitar o cérebro

É muito comum o incentivo à prática de exercícios físicos em todas as fases da vida, principalmente durante o envelhecimento. Mas também é preciso relembrar a importância do cuidado e da atenção à saúde mental. Nessa perspectiva, o exercício mental é uma das atividades essenciais para manter a memória, a concentração e a mente ativas.

O ato de exercitar a memória é uma das maneiras mais seguras para retardar sintomas de doenças mentais degenerativas como Alzheimer, por exemplo. Com o decorrer do tempo, o cérebro perde neurônios, o que compromete algumas de suas mais importantes funções.

Vale destacar que essa degeneração que resulta na perda de neurônios ocorre ao longo vida, mas tende a ser mais comum após os 40 anos. Por isso, é preciso colocar em prática alguns exercícios para o cérebro e, com isso, promover a saúde mental na nova idade.

Jogos de cartas, sudoku, quebra-cabeças, dominó, xadrez, dama, leitura ou o aprendizado de coisas novas são formas simples de preservar a capacidade de armazenamento cerebral e de manter a sua funcionalidade.

8. Manter bons relacionamentos

Todos sabemos que a manutenção de relacionamentos saudáveis e próximos traz importantes benefícios em qualquer fase da vida. Porém, na nova idade, esse processo de afetividade deve ser construído e mantido, já que ele exerce bastante influência no estado emocional, mental, no bem-estar e na saúde física.

Por isso, construir — e manter — uma rede de suporte mais sólida e ativa, que envolva familiares, amigos e relacionamentos amorosos, é fundamental para o bem-estar e para aumentar as sensações positivas nessa etapa da vida.

Como alguns dos problemas mais enfrentados pelas pessoas da nova idade são a solidão e o isolamento social, sentir-se inserido em um grupo gera uma energia vibrante, positiva e benéfica. Esses sentimentos são necessários para motivá-las a sair de casa, passear e fazer novas descobertas.

9. Evitar contatos com pessoas tóxicas

Estar cercado por boas pessoas torna o cotidiano mais alegre, melhora o humor e aumenta a defesa do organismo contra diversas doenças. Por isso, mesmo na nova idade, é muito importante cuidar para não manter relacionamentos tóxicos com parentes, ex-cônjuges ou aqueles que afetam a harmonia do ambiente.

Lidar com quem que não gera empatia pode ser desgastante e trazer sentimentos negativos, como raiva e rancor, ou relembrar experiências que não foram boas. Assim, é preciso evitar contatos muito próximo com pessoas tóxicas para que isso não afete a estabilidade emocional e resulte em prejuízos à saúde.

10. Ter uma alimentação saudável

Mais que em qualquer etapa da existência, na nova idade, os hábitos alimentares são determinantes para a saúde em diferentes aspectos. A alimentação das pessoas desse grupo impacta a maneira como eles passarão o dia e como executarão suas atividades de rotina. Mais que isso: exerce influência também sobre a qualidade do sono.

Pela manhã, a primeira refeição deve ser completa e conter elementos do grupo de vegetais, fibras e proteínas. Evite pratos que contenham muito carboidrato e procure se alimentar devagar, ingerindo pequenas porções, mastigando bem os alimentos para facilitar a digestão.

Opte por alimentos mais naturais, saudáveis e frescos — e não pule refeições. Lembre-se de que os hábitos alimentares são essenciais para manter o bom humor, a energia e, principalmente, a saúde e a qualidade de vida.

Logo, o ideal é fugir de solução simples — como fast foods — e priorizar alimentos mais saudáveis, leves e nutritivos. Evite que as escolhas alimentares se tornem gatilhos para desencadear doenças como diabetes, osteoporose e problemas no coração. Cuide para que a alimentação seja saudável, prazerosa e funcional.

11. Fazer psicoterapia

A psicoterapia é um processo que pode ajudar bastante no empoderamento necessário para tornar a nova idade uma fase mais tranquila e sem grandes preocupações. Esse tipo de terapia é focada em orientações que objetivam ajudar o indivíduo a lidar melhor com os anseios e as questões emocionais.

Com a psicoterapia, é possível aprender formas mais construtivas de aliviar o estresse que comumente surge no dia a dia. Também é importante buscar esse suporte profissional para controlar, com mais tranquilidade, as particularidades da vida pessoal, afetiva, social e do convívio familiar.

Também pode ser um processo de apoio ao passar por um período difícil como o luto, transições de carreira ou um divórcio.

Às vezes, nessa fase da vida, podem acontecer algumas adversidades ligadas à saúde física, como limitações ou incapacitações que exigem mais habilidade e autoconhecimento na hora das tomadas de decisões. Nesse sentido, poder conversar com um profissional e receber orientação é fundamental.

12. Meditar

Durante o envelhecimento, optar pela meditação é uma das técnicas que são aconselhadas para melhorar a observação sobre as ações e escolhas feitas. Além disso, essa prática está inserida entre os hábitos saudáveis, uma vez que o ato de colocar uma pessoa nesse caminho eleva a alma e o espírito para uma jornada mais positiva e feliz.

A meditação permite um encontro consigo mesmo e estimula uma análise mais consciente da missão de cada ser em sua passagem por essa vida. Por meio desse exercício mental, é possível encontrar paz e harmonia no meio das atividades de rotina.

Logo, treinar o cérebro para encontrar quietude em meio à agitação da vida, à pressão dos compromissos ou diante da fragilidade decorrente de uma doença é essencial em nossos dias. Isso torna a meditação um dos hábitos saudáveis mais indicados para acalmar a mente, melhorar a concentração, treinar a autodisciplina, reduzir a ansiedade e promover o relaxamento.

13. Tomar sol

Na nova idade, a exposição ao sol é essencial para a saúde física e mental. Tomar sol no início da manhã ou no finalzinho da tarde é ideal para melhorar o humor, reduzir o estresse e produzir hormônios que tornam a vida mais leve e mais agradável.

No aspecto físico, os raios ultravioletas penetram na pele e convertem a pró-vitamina D em vitamina D. Assim, a exposição ao sol é necessária para a ativar um dos nutrientes mais importantes para a manutenção dos ossos e dos dentes. Além disso, essa vitamina atua como função hormonal em diversos processos fisiológicos essenciais à manutenção do metabolismo.

14. Dançar

A dança é uma excelente atividade para todas as idades. Mas na nova idade, essa prática assume uma outra relevância. Além dos benefícios à saúde física, desempenha um importante papel na sociabilização, na elevação da autoestima e no fortalecimento da autonomia e da independência de quem já alcançou os 60 anos, ou está quase lá. Essas vantagens a colocam entre os hábitos saudáveis que merecem atenção especial nesse ciclo da vida.

15. Ser grato

Em qualquer fase da vida, perceber as chances que temos a cada momento para aproveitar a vida de diferentes formas é desenvolver a gratidão. Principalmente para quem já alcançou a nova idade, há motivos de sobra para ser grato pelas conquistas e vitórias alcançadas ao longo da própria vivência.

A gratidão torna a vida mais leve e faz a pessoa se sentir mais contente, disposta e ativa. Pensar positivamente e adotar uma postura que permita ser mais agradecido pela vida — e os presentes que ela traz — é essencial para libertar das dores físicas e emocionais.

Mais que isso: a gratidão promove a motivação necessária para continuar construindo uma jornada mais positiva e saudável.

A periodicidade dos hábitos saudáveis

Tão importante quanto adotar hábitos saudáveis na nova idade é cuidar para manter uma rotina regular — e não apenas desenvolvê-los vez ou outra. Para surtir efeito sobre a saúde e alcançar melhores resultados, é preciso uma periodicidade.

Toda mudança na rotina exige tempo para adaptação. Assim, para tornar a vida mais saudável, manter a regularidade na prática dessas sugestões é essencial à adequação a esses novos hábitos.

Muitas vezes, as pessoas não têm tempo para cuidar da saúde e de seu bem-estar. Por isso, a adoção de um estilo de vida mais equilibrado exige mudança de atitudes e maior conscientização sobre as opções de vida.

Na nova idade, algumas decisões são fundamentais e determinantes para a saúde tanto no âmbito físico quanto no psicológico, afetivo e social. O estilo de vida está intrinsecamente associado à redução do risco de doenças degenerativas e cardiovasculares, já que as boas práticas contribuem para o fortalecimento da imunidade.

Logo, a vida futura — e a saúde — dependem das escolhas do presente, já que nosso organismo reage de acordo com os cuidados que recebe. Nesse sentido, priorizar hábitos saudáveis é essencial. Mesmo que ocorra mudanças fisiológicas, a boa notícia é que quem estiver mais preparado, mental e fisicamente, alcançará mais benefícios e tornará essa etapa positiva e tranquila.

Gostou de nossas dicas de hábitos saudáveis? Compartilhe-as nas redes sociais de seus contatos para que eles também conheçam nossas publicações!

Powered by Rock Convert

Você pode se interessar também:

  Desenvolvido por Ventron