Pesquisa

15 dicas de economia doméstica práticas para a nova idade

dicas de economia
28/05/2020
1 minuto de leitura

Em um cenário de instabilidade econômica, buscar dicas de economia doméstica pode ajudar a controlar as despesas fixas e ainda possibilitar uma reserva para o futuro. Principalmente na nova idade, priorizar a boa administração do dinheiro ainda garante um envelhecimento saudável e com mais qualidade de vida.

Uma vez que o entendimento dos conceitos de finanças pessoais é essencial a todas as pessoas, neste artigo, vamos compartilhar dicas básicas para ajudar na gestão dos gastos domésticos de quem já passou dos 60 anos. Veja, então, como gerir seus recursos e ter mais segurança financeira nessa fase da vida. Boa leitura!

Entenda a importância de economizar na nova idade

Na nova idade, a estabilidade financeira é fundamental para garantir uma vida mais equilibrada e independente. Nesse sentido, a boa gestão da aposentadoria — ou mesmo de outras fontes de renda — é determinante à qualidade de vida desse grupo.

Após os 60 anos de idade, as maiores despesas são voltadas para a saúde, alimentação e bem-estar. Nessas circunstâncias, a pessoa tem a rotina mais centrada em tratamentos médicos ou em atividades dentro de casa, o que faz com que boa parte das finanças tenha esse destino. Assim, se não houver um planejamento em longo prazo e estratégias voltadas à economia doméstica, o orçamento mensal pode ser afetado.

Economizar é uma prática que está associada a diferentes fatores como estilo de vida, cultura, classe socioenômica ou até mesmo influência de gênero. Geralmente, a classe feminina tem mais dificuldade para juntar dinheiro, por exemplo, o que exige uma reflexão mais ampla das mulheres quanto à relevância da necessidade de economizar e de se preparar para o envelhecimento.

Acontece que os homens têm mais tendência à poupança ou a fazer investimentos que possibilitem algum retorno financeiro no futuro. Afinal, são incentivados historicamente a acreditar que são os únicos responsáveis pelo sustento da família.

Por outro lado, vemos cada vez mais mulheres responsáveis pelas suas próprias finanças, a maior parte ainda sofre muito com essa questão — o que eleva o risco de pobreza feminina na nova idade.

Contudo, ainda temos o avanço da Medicina e da Tecnologia, que elevou os índices de expectativa de vida de nossa população, algo que requer medidas mais concretas para assegurar saúde e bem-estar a esse grupo. Após a aposentadoria, as circunstâncias costumam se tornar adversas, por isso, priorizar a economia doméstica é essencial.

A expectativa de vida no Brasil aumentou em mais de 30 anos de 1940 até 2018, segundo dados do IBGE. Mas, tão importante quanto envelhecer é alcançar uma longevidade mais saudável e autônoma. Nesse contexto, a saúde financeira é um quesito primordial ao alcance desse objetivo.

Confira os benefícios assegurados à nova idade pela legislação

O Estatuto do Idoso na Lei Federal nº 10.741 assegura diversos benefícios para as pessoas com mais de 60 anos. Além de defender direitos constitucionais básicos, essa legislação ainda efetivou importantíssimas vantagens financeiras que ajudam a gerir recursos e aproveitar a aposentadoria. Veja quais são!

Gratuidade no transporte coletivo

dicas de economia

Pessoas que já passaram dos 65 anos não pagam passagem nos transportes públicos municipais. Para usufruir do direito à gratuidade, basta comprovar a idade por meio de um documento de identificação válido e com foto.

Nos serviços interestaduais, as passagens podem ter desconto integral ou proporcional. Ainda que a legislação seja específica em cada Estado, o direito à gratuidade possibilita economizar dinheiro e, com essa economia, manter as contas em dia ou guardar o valor para suprir alguma outra necessidade.

Para quem gosta de viajar, o benefício da passagem interestadual é uma chance de aproveitar o tempo livre conhecendo novas pessoas, lugares diferentes ou visitando familiares. A vida, em si, já é uma grande oportunidade. Quando se tem privilégios — como os assegurados por lei na nova idade — dá para desfrutar de bons momentos em família, com os amigos e viver com mais alegria e intensidade.

Meia-entrada em atividades culturais, esportivas e de lazer

Assim como os estudantes, quem tem mais de 60 anos também tem direito a desconto de 50% nas entradas em eventos culturais, esportivos ou de lazer. Além do valor diferenciado, as pessoas da nova idade têm acesso preferencial em shows, cinemas, teatros, estádios de futebol e em outras atividades com entradas pagas.

Proibição de reajuste no plano de saúde por mudança de idade

Em 2004, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) proibiu as operadoras de planos de saúde de aumentar o valor das mensalidades por motivo de mudança de faixa etária. Antes dessa regulamentação, quando os usuários completavam 60 anos, as operadoras reajustavam os convênios.

A partir dessa mudança, porém, os planos só podem ser reajustados anualmente e ter seus valores atualizados de acordo com o regimento proposto pela ANS. Vale destacar que, como essa norma entrou em vigência em 2004, caso seu convênio seja mais antigo, você pode propor um acordo com a sua operadora.

Concessão de linhas de crédito especial

Pessoas que recebem benefícios do INSS ou aposentadoria vitalícia têm excelentes opções de crédito no mercado. As linhas de crédito especial são uma oportunidade de fazer algum investimento em casa, liquidar dívidas ou mesmo para planejar suas viagens e curtir a nova idade.

Os empréstimos consignados também são uma alternativa viável, mas é preciso ter cautela para não se endividar muito. Normalmente, as operadoras desses serviços oferecem empréstimos a juros bem abaixo do mercado porque as parcelas são descontadas automaticamente do benefício. Entretanto, o crédito não pode ser superior a 30% do valor da pensão ou da aposentadoria.

Isenção do Imposto de Renda e do IPTU

Na nova idade, pessoas que são portadoras de doenças como cardiopatias, HIV, câncer ou mal de Parkinson têm um benefício extra: isenção do Imposto de Renda (IR) e, dependendo da localidade, também do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). Para quem tem mais de 80 anos, em algumas cidades há prioridade especial na isenção de serviços municipais.

Independentemente da idade, vale frisar que a isenção do pagamento do IPTU é condicionada à legislação municipal. Nesse caso, o ideal é se informar sobre as normas adotadas pela prefeitura de sua região. Em algumas localidades, como São Paulo, esse benefício é restrito aos aposentados e pensionistas que recebem um teto de até três salários mínimos mensais.

Confira as 15 melhores estratégias de economia doméstica

Na nova idade, buscar alternativas de economizar é uma importante medida que ajuda a se preparar para alguma eventualidade futura. Essa prática tem um grande significado, principalmente se houver algum imprevisto ou se surgirem problemas de saúde que costumam acometer essa fase da vida.

Podemos afirmar também que a lógica que sustenta os princípios da economia doméstica é manter a organização das finanças por meio de um planejamento financeiro mais estratégico e eficaz. Além disso, ter uma estabilidade econômica contribui com a preservação da autonomia e da independência, quesitos essenciais à manutenção da autoestima durante o envelhecimento.

A seguir, temos 15 dicas que colaboram com esses objetivos, divididas entre as maiores áreas de economia doméstica. Veja só!

Dicas de economia financeira

Selecionamos, em primeiro lugar, algumas dicas que podem ser úteis ao controle do orçamento doméstico.

1. Estabeleça metas de reserva financeira

Todas as famílias precisam se preparar e guardar dinheiro para emergências. Antes de definir onde e quando vai aplicar seu dinheiro, é necessário reservar uma quantia para alguma eventualidade ou imprevistos. O ideal é fazer uma planilha de custos fixos com finalidade na manutenção de suas despesas e estimar os gastos que seriam necessários ao cobrir um período de quatro a seis meses.

2. Corte gastos supérfluos sempre que possível

Confira se todas as suas despesas mensais são mesmo necessárias. Outro passo essencial é separá-las por prioridade e avaliar se há algumas que poderiam ser excluídas do orçamento. Fazer esses cortes ajuda a economizar com supérfluos e ainda possibilita investir em outras necessidades ou reservar esse valor.

3. Faça um orçamento

Fazer um orçamento mensal e incluir todas as despesas auxilia a visualizar os gastos desnecessários. Diante disso, será bem mais fácil controlar sua vida financeira e saber onde estão os maiores compromissos. Na nova idade, as despesas com alimentação e saúde podem consumir um percentual considerável de sua renda. No entanto, é possível se organizar e fazer uma reserva destinada aos medicamentos ou alimentos que você mais precisa.

Então, procure criar hábitos de consumo consciente e que favoreçam a economia doméstica. Mesmo aqueles produtos que custam menos se somam e, no final, pesam em seu orçamento. Na prática, isso é muito comum no uso de cartões de crédito: quando somadas, as menores compras representam um alto valor da fatura.

Portanto, tenha em mente que ao adotar medidas de economia financeira você deverá mapear seus gastos e direcionar seus investimentos de forma mais equilibrada. Ao contrário do que muitos pensam, a atenção a essa prática não é limitante, mas possibilita o controle de suas finanças, mais liberdade e menos preocupação na sua vida.

4. Evite o crédito consignado

Após os 60 anos, a facilidade de conseguir empréstimos leva muitas pessoas a adotar esse costume, mesmo sem necessidade. Por isso, tenha o cuidado de preservar a sua estabilidade financeira e evite tomar dinheiro emprestado. Outro erro comum é se tornar avalista para outras pessoas. Além do risco de ter que assumir a dívida, esse ato pode trazer muita dor de cabeça futura!

Então, esteja ciente desses riscos caso decida ajudar algum amigo ou familiar. Lembre-se de que esses contratos consignados são feitos em nome do titular e as parcelas serão automaticamente descontadas na aposentadoria. Se a pessoa não cumprir com o compromisso, você será o responsável pela quitação da dívida.

Dicas de economia de energia

Além de reduzir custos com despesas fixas, economizar energia é uma atitude importante para a sustentabilidade do planeta. Tendo isso em vista, observe as seguintes práticas!

5. Faça o maior uso possível da iluminação natural

As casas modernas são projetadas com uma arquitetura favorável ao melhor aproveitamento da luz do sol. O uso de vidraças, claraboias e a opção por cores claras nas paredes contribuem com a iluminação do ambiente.

Mesmo que sua residência não tenha sido construída nesses moldes, ao deixar as janelas abertas, você já pode se beneficiar da iluminação natural. Além do mais, se for reformar ou adaptar sua casa às suas necessidades, atente para essas dicas e explore modelos mais sustentáveis e econômicos.

6. Troque as lâmpadas por um modelo econômico

Nos últimos anos, foram feitas algumas mudanças nos tipos de lâmpadas de uso doméstico, comercial e de iluminação pública. Opções mais econômicas, como as luzes de LED, têm tecnologia avançada em relação aos demais modelos. Além disso, elas são produzidas com materiais que não agridem o meio ambiente.

Mesmo que o valor dessas lâmpadas seja um pouco mais elevado que o das tradicionais, o custo-benefício compensa a sua aquisição. As luzes de LED são mais duráveis e não transmitem calor ao ambiente. Outra dica fundamentalé não deixar acesas as luzes que não estão sendo utilizadas. Apagá-las é um importante hábito que simboliza uma economia substancial.

7. Priorize o consumo consciente

Utilizar energia de forma consciente faz diferença ao bolso e à preservação do meio ambiente. Por isso, conscientize seus filhos e netos a tomar banhos mais rápidos, por exemplo. Igualmente relevante é manter a temperatura dos chuveiros mais amena de modo a diminuir o gasto de energia.

Também é essencial organizar a lavagem de roupas: ligue a máquina de lavar e sua secadora de roupas somente quando estiver com uma grande quantidade de peças sujas. Para economizar energia e tempo, o ideal é utilizar a máquina com uma quantidade equivalente à capacidade máxima. Ao comprar novos eletrodomésticos, confira também a sua classificação. Geralmente, os modelos tipo A são mais econômicos e duráveis.

Dicas de economia de água

Assim como economizar energia, priorizar hábitos de redução do consumo de água também é fundamental ao equilíbrio das despesas domésticas. Observe algumas maneiras de fazer isso de modo mais eficaz!

8. Reaproveite a água

Todo o volume de água utilizado no banho e na máquina de lavar pode ser reutilizado. Para isso, instale um sistema de reuso por meio de canos e aproveite essa água ao fazer pequenas limpezas em casa. Você pode usar esse volume para jogar no vaso sanitário, lavar chão, calçadas ou até mesmo o carro.

Nesse período de pandemia de COVID-19, a atenção à higienização da residência é fundamental à prevenção da doença. Assim, a reutilização de água pode ser a saída para manter a casa limpa, mas sem pesar nas contas e no orçamento mensal.

9. Feche a torneira enquanto escova os dentes

Criar esse hábito representa uma economia de muitos litros de água. Durante a escovação dos dentes, a lavagem das mãos ou do rosto, manter a torneira fechada ou com pouca água é uma boa alternativa para evitar o desperdício. Também é importante verificar se a torneira não está pingando após a utilização.

10. Controle o fluxo de água ao lavar a louça

Muitas pessoas têm o hábito de exagerar no consumo de água durante a lavagem de louças. Às vezes, isso ocorre porque a torneira está muito aberta, pelo grande volume de peças ou devido aos utensílios que estão muito sujos. Para evitar esse gasto excessivo, convém retirar o excesso de sujeira dos vasilhames a seco antes de abrir a torneira. Experimente essas dicas por um mês — você terá uma surpresa com a diferença na sua conta de água!

11. Utilize regadores para cuidar das plantas

Essa sugestão também é uma oportunidade de ensinar seus netos que água é vida e um líquido muito precioso. Assim, converse com eles sobre a importância de economizar água, na prática. Experimente cultivar um jardim e utilize o regador para cuidar das plantas.

Estimule a participação das crianças nesse contato com a natureza. Explique que, assim como os humanos, as plantas não vivem sem água. Porém, é necessário utilizar esse valioso bem com consciência, já que a escassez de água no planeta pode comprometer a produção e a disponibilidade de alimentos básicos.

12. Troque a mangueira por um balde

Na hora de lavar o carro ou de regar suas plantinhas, evite utilizar a mangueira. O consumo de água será muito menor se você a substituir por um balde. Além da economia em sua conta mensal, essa alternativa pode representar uma contribuição relevante à sustentabilidade do planeta.

Dicas de economia no supermercado

Nas idas ao supermercado, há várias formas de economizar, por isso, também destacamos algumas delas. Veja quais são!

13. Faça uma lista de compras

Assim que você definir o seu cardápio semanal e conferir a sua lista de outros produtos de manutenção da casa, estará pronto a ir às compras. Evite sair de casa sem a sua listinha, já que isso pode influenciar a aquisição de supérfluos ou de produtos que não são de aquisição urgente.

14. Experimente novas marcas

Uma forma de economizar é experimentar novas marcas. Às vezes, as pessoas mantêm alguns hábitos de consumo que as tornam fiéis a alguns produtos de determinadas empresas. No entanto, como forma de economizar, vale inovar e testar novidades diferentes e mais acessíveis.

15. Fique de olho nas promoções de atacadistas

Procure ficar de olho nas promoções de produtos classificados como de primeira necessidade e faça uma espécie de estoque semanal ou quinzenal, por meio do atacado. Esse é um modo seguro de economizar mais e melhor!

Nesse cenário de pandemia de coronavírus, a orientação é comprar uma quantidade razoável de alimentos para evitar idas frequentes ao supermercado, por exemplo. Porém, é preciso se lembrar de seguir o protocolo: não comprar enormes quantidades (pois as outras pessoas também precisam dos produtos) e pedir alguém para fazer suas compras, já que quem está na nova idade é do grupo de risco e, por segurança, deve ficar em casa.

Saiba por que o equilíbrio emocional é tão essencial ao equilíbrio financeiro

Assim como acontece com pessoas de todas as faixas etárias, mesmo na nova idade, os sentimentos e emoções podem ser gatilhos para o consumo excessivo e, por conseguinte, resultar em endividamento. Por isso, o ato de fazer compras não deve ser visto como válvula de escape para fugir dos problemas ou aliviar ansiedade e estresse, combinado?

A maioria dos consumistas admite sentir necessidade de comprar algo quando as coisas não vão bem. Contudo, essa é uma situação de risco, já que o consumismo pode gerar dívidas e descontrole financeiro, mesmo entre pessoas bem-sucedidas. Nesse sentido, o cuidado com as emoções é imprescindível para, mesmo com os sentimentos abalados, conseguir diferenciar desejo de necessidade — desejo é o que queremos, enquanto necessidade é o que precisamos.

Muitas vezes, essa dificuldade em gerir as emoções alimenta a compulsão, pois grande parte das pessoas confunde vontade de ir às compras com prioridades básicas. Lembre-se também de que, após os 60 anos, o risco de endividamento é ainda maior diante das possibilidades de conseguir créditos consignados, cartões de crédito e outras facilitações.

Outro fator favorável à cultura consumista é o impulso tecnológico no setor de vendas, que influencia bastante os costumes e o comportamento de indivíduos de todas as faixas etárias. O universo de serviços on-line — que estimulam e facilitam as compras no conforto de casa — torna esse fenômeno cada vez mais intenso, mesmo entre pessoas da nova idade.

O estado psicológico, entretanto, é o fator determinante e decisivo sobre atitudes que levam aos gastos desnecessários. Desse modo, o controle sobre os sentimentos simboliza uma gestão financeira mais autônoma e equilibrada. Priorizar hábitos saudáveis e uma saúde emocional estável é capaz de ajudar a vencer a compulsão de buscar em aquisições a solução para anseios da alma.

Pode-se perceber, por fim, que a estabilidade econômica depende de reconhecer e filtrar os sentimentos prejudiciais, bem como de cuidar da mente. Na nova idade, a decisão por estratégias de economia doméstica e de controle do consumo está intrinsecamente ligada às emoções. Sendo assim, a habilidade para motivar ações favoráveis à saúde financeira é um importante diferencial a fim de alcançar uma longevidade mais tranquila e próspera.

Gostou das nossas dicas de economia doméstica? Assine a nossa newsletter e receba outras publicações como esta diretamente em seu e-mail!

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Tags: , ,

Compartilhe:

“A Nova Idade não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos frequentadores do portal. A Nova Idade repudia qualquer forma de manifestação com conteúdo discriminatório ou preconceituoso.”

Você pode se interessar também:

  Desenvolvido por Ventron