Pesquisa

Carnaval para idosos: 3 histórias de quem se diverte nessa época

carnaval para idosos
28/02/2020
1 minuto de leitura

O carnaval é um momento muito esperado no Brasil. Quem nunca escutou que o ano só começa de verdade depois dessa festa? O período é marcado por dias de folga, diversão e muita folia nos blocos de diversas cidades brasileiras.

Muita gente pensa que tanta movimentação só combina com pessoas jovens, certo? Mas isso não poderia estar mais errado! Afinal, quem está vivendo a nova idade também merece aproveitar o tempo livre como quiser. Isso pode incluir, claro, descanso e bons encontros com família e amigos.

De outro lado, o carnaval para idosos também pode envolver bailes, dança e folia! Quer saber mais? Conheça 3 histórias de quem aproveita para se divertir bastante!

1. Gaby de Aragão: carnaval não tem idade

A nossa primeira foliã é a aposentada Gaby de Aragão. Ela tem 63 anos de idade e é nada menos do que coordenadora de um bloco de carnaval. Assim, tem propriedade para afirmar que a festa não tem limitação de faixa etária. Todo mundo pode — e deve — buscar formas de se divertir.

A organização do bloco

Além de pular carnaval, a Gaby cuida dos preparativos do bloco “Du Seu Pai e Filhas de Gaby”, que existe desde 2012 e faz a folia nas ruas de Belo Horizonte. A ideia surgiu de um grupo de amigos que ama a festa e sente falta das alegrias que vivia em Ouro Preto no passado.

Então, nada mais justo do que vivenciar novamente o melhor do carnaval — dessa vez, em BH. E eles fazem isso em grande estilo: todo ano é escolhido um tema diferente para o bloco e os foliões são incentivados a vestirem fantasias.

Apesar de não ser obrigatório, a ideia é que todos consigam soltar a criatividade. Por isso, a própria equipe do bloco faz sugestões de fantasias que combinem com o tema e sejam de fácil produção. Desse modo, os participantes podem ir a caráter de maneira simples e econômica.

A Poly

Não bastasse toda a animação levada pela Gaby e seus amigos, o bloco tem um diferencial bem humorado. A Poly é um carro alegórico que conta com um pole dance móvel. Tudo é inspirado em um estandarte de carnaval — e não está ali só de decoração.

Os foliões são convidados para dançar e se divertir em cima do carro. E a Gaby dá o exemplo: “eu tenho um bloco, eu brinco, pulo, danço em cima de um pole dance como se eu fosse uma pessoa mais nova”.

A energia única do carnaval

carnaval para idosos

Talvez você esteja pensando que não é nada simples coordenar um bloco em pleno carnaval. Com certeza, a Gaby despende muita energia nisso. Mas ganha também muito mais energia de volta. Segundo ela, o que lhe dá força é ver os amigos sorrindo, cantando e dançando.

Além disso, quem compõe o bloco tenta levar a energia para todo o restante do ano. Afinal, é preciso realizar ensaios com a turma que fica encarregada do som. Eles tocam marchinhas, samba, samba reggae, funk e muito mais.

Você não curte o carnaval para idosos ainda? Inspire-se na Gaby e se divirta na nova idade: “eu sempre fui apaixonada pelo carnaval. Gosto de cantar, de dançar, me fantasiar… Eu acho que é uma época na qual todos nós ficamos mais soltos, com energia maior. Podemos estar na rua, nos fantasiar, cumprimentar e abraçar as pessoas… Todo mundo fica muito mais feliz!”.

Os cuidados na hora da diversão

Para quem deseja aproveitar os dias de carnaval com mais animação, a Gaby tem dicas de cuidados no verão que evitam qualquer problema. Ela lembra que é importante utilizar filtro solar, colocar um tênis confortável e usar boné para se proteger do sol.

Mas faz questão de dizer: esses são cuidados que todo mundo deve ter, não importa a idade. Logo, não há impedimentos para que pessoas na nova idade se divirtam nas ruas de BH ou por todos os cantos do país.

2. Meg Caetano: carnaval é energia

A Meg Caetano é mais um exemplo de aposentada que não se pergunta “o que fazer no carnaval”. Na rotina dela, os dias de diversão no feriado são garantidos. Aliás, a folia já começa antes, nos bailes de pré-carnaval.

E quem pensa em descansar depois? A Meg também vai para uma festa de pós-carnaval. Ela esbanja tamanha energia aos seus 66 anos, dançando e tocando em vários blocos — inclusive, o comandado pela Gaby de Aragão.

O melhor da folia

Para quem pergunta de onde vem tanta energia para pular carnaval, a Meg é taxativa: “minha energia está em mim, sempre”. Além disso, o melhor da festa para ela é se energizar também com os amigos e as pessoas que conhece nos blocos.

Também é importante destacar que os efeitos positivos dos dias de folia não duram apenas no feriado. A oportunidade de fazer amigos durante os ensaios dos blocos é outro motivo pelo qual o carnaval ganhou o coração da Meg.

O grito de liberdade

Ao contar sua história de amor com o carnaval, A Meg faz questão de exaltar a liberdade da festa. Para ela, é um momento de se aproximar das pessoas, desprender-se de amarras e preconceitos e curtir muito.

E se alguém pergunta para ela sobre os cuidados com o corpo para pular carnaval na nova idade, a resposta é a seguinte: “nem sei o que dizer, porque a idade não interfere em nada na vida da gente. As ruas no carnaval estão cheias de todo tipo de gente e não é a idade que vai impedir você de ser feliz”.

3. Heitor*: carnaval aproxima gerações

Outra pessoa que se diverte muito durante o carnaval é o Heitor. Além de dançar e pular na folia, ele também é cantor e está à frente de diversas festas nessa época. Para ele, a magia carnavalesca fica por conta do encontro de pessoas diferentes.

Inclusive, o Heitor é totalmente contra separar a folia por faixa etária. Ele não quer saber de bailes de carnaval para idosos! “Se tiver aí um carnaval para idoso eu não quero nem passar na porta! Assim como não quero ir a um carnaval só de jovem! Quero interagir é com pessoas bacanas, legais, que sejam boas umas pras outras, isentas de machismo e homofobia.”

Sobre as possibilidades e os cuidados do carnaval na nova idade, ele garante que a disposição para a festa é algo que transcende a idade. Para o Heitor, a disposição é proporcional ao amor pela folia — e cada um tem a liberdade de escolher seu estilo de carnaval.

E então, o que você acha de curtir os próximos carnavais para idosos depois de conhecer essas três histórias inspiradoras? Sem dúvida, não há limites para sentir alegria e encontrar com amigos em momentos agradáveis. Vale a pena aproveitar a vida!

Uma das melhores maneiras ter momentos divertidos é viajando, não é mesmo? Aproveite sua visita ao blog e conheça 5 destinos incríveis de viagens para idosos!

* Nome fictício. O entrevistado preferiu não comentar nome e idade.

Tags: , , , ,

Compartilhe:

“A Nova Idade não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos frequentadores do portal. A Nova Idade repudia qualquer forma de manifestação com conteúdo discriminatório ou preconceituoso.”

Você pode se interessar também:

  Desenvolvido por Ventron