Pesquisa

A importância de se adotar políticas de prevenção de quedas na nova idade

prevenção de quedas em idosos: idoso segurando em barra de segurança em banheiro de casa
04/10/2019
3 minutos de leitura

Entender a importância da prevenção de quedas na nova idade é essencial para instituir ações que reduzam os impactos de um problema tão recorrente. Esses episódios têm um significado muito relevante, visto que podem resultar em incapacidade, na perda da autonomia e, assim, comprometer a saúde física e emocional da pessoa.

Tendo isso em vista, a proposta deste artigo é abordar a importância de prevenir quedas durante o envelhecimento. Conheça os principais fatores de riscos e os aspectos associados a essa questão. Boa leitura!

Os índices de quedas no Brasil

Em nosso país, o aumento da quantidade de pessoas com mais de 60 anos exige a criação de políticas públicas de prevenção que protejam tanto a saúde física quanto a estabilidade mental desse grupo. Estatísticas recentes alertam que o número de casos de internação hospitalar devido a quedas é superior a 25%.

O mesmo estudo confirma que, dos 25% dos internados, 63% deles evoluíram para complicações e outros agravantes à saúde. Esses índices sugerem a necessidade de efetivar ações mais concretas a fim de frear os impactos negativos sobre o bem-estar em pessoas da nova idade.

Vale ressaltar que a maioria dos problemas relacionados a quedas em pessoas acima dos 60 anos se agravam em decorrência da falta de agilidade no socorro. Também é importante considerar os motivos que geram episódios frequentes nesse ciclo de vida.

As causas de quedas podem ser subdivididas entre influências internas e externas. Os fatores internas são relacionados a elementos específicos da própria pessoa. Os mais relevantes são o estado de saúde, as doenças crônicas, o estilo de vida e a condição física, por exemplo.

Há, porém, elementos externos que influenciam bastante a ocorrência de quedas. Entre os principais destacam-se o tipo de piso, a condição das vias públicas e o modelo de calçados. Entender a relevância desses aspectos é primordial para direcionar medidas de educação preventiva que proporcionem mais segurança a esse grupo de pessoas.

Os principais fatores de riscos que podem levar a quedas

Devido à natural degeneração celular que acompanha o envelhecimento, um dos fatores mais relevantes é a perda de massa muscular. Questões relacionadas ao equilíbrio e ao comprometimento da visão também influenciam essa questão.

Também é preciso considerar os fatores externos como pisos escorregadios, a disposição dos móveis na casa e o excesso de tapetes. Um calçamento irregular ou até mesmo a utilização de calçados com solados gasto podem aumentar o risco de quedas.

Nesse sentido, grandes são os impactos na qualidade de vida, visto que eventos frequentes de quedas podem resultar em diferentes complicações. As consequências das quedas aumentam os riscos de deixar a pessoa incapaz, acentuam a dependência e prejudicando a rotina da pessoa.

Além do comprometimento físico, as quedas na nova idade também estão associadas a questões sociais e à instabilidade emocional. Entre as mais frequentes, destacam-se o isolamento social, a redução da autoestima, a depressão e a insegurança pelo medo de cair novamente.

A identificação dos fatores de risco relacionados a esse problema torna-se imprescindível em diferentes sentidos. Conhecer esses aspectos possibilita instituir ações de prevenção de quedas para permitir uma longevidade com mais saúde e segurança.

A prevenção de quedas na nova idade

prevenção de quedas em idosos: idoso apoiando-se em bengalas com a ajuda de uma jovem mulher, que o ajuda na atividade

Quando uma pessoa com idade avançada cai uma vez, a tendência é que ela tenha novas quedas em um curto espaço de tempo. Essa foi a conclusão de um estudo publicado pelo Scielo/USP em janeiro de 2019 — 56% dos participantes tiveram mais de um episódio de queda nos 12 meses seguintes à primeira ocorrência.

Logo, trabalhar a prevenção de quedas pode reduzir os índices de doenças associadas à incapacidade resultante desses eventos. Nesse sentido, priorizar a adequação do ambiente residencial é uma das formas mais seguras de evitar acidentes.

E isso pode ser feito de um jeito simples, mas capaz de tornar a casa mais acessível e confortável. Listamos algumas sugestões úteis à prevenção de quedas. Veja quais são!

Priorize uma iluminação adequada

Ainda que não seja regra geral, a maioria das pessoas pode ter alguma dificuldade visual com o passar dos anos. Logo, é necessário priorizar um ambiente bem iluminado e favorável, não somente à locomoção como também à realização de suas principais atividades.

Tenha cuidado com tapetes

É bom ter cuidado com o excesso de tapete ou com o material utilizado na composição desses utensílios. Evitar o uso desse tipo de decoração pode reduzir o risco de escorregar ou tropeçar. Igualmente importante é verificar o calçado que a pessoa utiliza. Observe as condições do solado e se o modelo é confortável, seguro e adequado à idade.

Avalie a necessidade do uso de bengala ou similares

Os familiares responsáveis devem estar atentos a alguns sinais ou comportamentos apresentados pelos integrantes da nova idade. É preciso observar se a pessoa anda com dificuldade e se há indícios de necessidade de utilização de acessórios como bengala, por exemplo. Esses utensílios são ideais à prevenção de quedas, pois auxiliam a firmar os passos.

Instale barras de apoio nos banheiros

Boa parte dos episódios de quedas ocorrem nos banheiros. O piso molhado facilita o deslize e aumenta os riscos de acidentes. Procure instalar barras de apoio próximo ao chuveiro e ao vaso sanitário. Tais cuidados são relevantes para garantir mais segurança durante a realização da higiene pessoal.

Além dessas medidas, igualmente importante é manter consultas periódicas e realizar exames para avaliação das condições de saúde. Fazer fisioterapia ou exercícios físicos que aumentem a resistência muscular também são práticas fundamentais à prevenção desses incidentes.

Como vimos, o contexto que envolve o risco de quedas na nova idade é associado a diferentes fatores. Logo, fica claro que o modo mais eficiente de reduzir acidentes é ter atenção ao que pode causar esses episódios e priorizar políticas de prevenção de quedas.

Agora é com você: que tal compartilhar este artigo em suas redes sociais para que seus amigos também conheçam estas dicas de saúde?

Você pode se interessar também:

  Desenvolvido por Ventron