Pesquisa

Saiba quais os 7 principais tipos de infecção por fungos e como tratá-las

infecção por fungos
03/08/2020
1 minuto de leitura

A infecção por fungos é bastante comum e pode acometer quase 4 milhões de brasileiros todos os anos. É por isso — e em função dos muitos riscos para a saúde que eles podem trazer —, que é fundamental se informar acerca das principais infecções causadas por eles. Com isso, é possível investir em longevidade e evitar problemas tanto superficiais quanto mais sérios.

As principais causas relacionadas às infecções fúngicas incluem baixa imunidade, maus hábitos de higiene e lesões na pele. Ao reforçar a alimentação, se manter em movimento, adotar cuidados consigo diariamente e tratar machucados e ferimentos é possível evitar muitas delas. Porém, há mais a ser feito. Continue lendo e você conferirá sintomas e tratamentos!

Conheça os tipos mais comuns de infecção por fungos e combata-os por meio das informações deste artigo!

1. Pano branco

Essa é uma infecção fúngica comumente conhecida como micose de praia. Porém, seu nome científico é um pouco mais complicado: Ptiríase versicolor. O fungo causador desse problema é o Malassezia furfur. Seu principal sintoma é a presença de manchas arredondadas e de cor branca que surgem:

  • na face;
  • nos braços;
  • na região do abdômen ou tronco;
  • no pescoço.

É simples percebê-la em meio à exposição ao sol. Afinal, o fungo não permite que a melanina, que dá cor à cútis, seja adequadamente produzida. Lembre-se de tomar todos os cuidados com a pele recomendados por médicos antes de se expor ao sol.

2. Tinha

infecção por fungos

Também conhecida como Tínea, a dermatofitose — como é cientificamente chamada — provoca diversas lesões na pele. Ela engloba diferentes fungos, como Epidermophyton, Trichophyton ou Microsporum e é transmitida pelo solo, de pessoa para pessoa ou por animais contaminados. Os principais locais do corpo acometidos por essa infecção por fungos incluem:

  • unhas, que se tornar opacas e espessas;
  • pés, se manifestando entre os dedos e sendo, também, conhecida como pé de atleta ou frieira;
  • couro cabeludo, sendo chamada de Tinha capitis e provocando quedas capilares locais;
  • virilha, sendo chamada de Tinha cruris.

De forma geral, a Tinha pode surgir em qualquer área da pele. Ela causa descamação, coceira e vermelhidão. Por ser extremamente contagiosa é fundamental tratá-la adequadamente. Para isso, além de buscar um médico, é preciso secar bem o corpo após o banho e evitar o uso de sapatos fechados por tempos prolongados. É provável que o profissional recomende o uso de pomadas antifúngicas para situações leves. As mais graves podem ser tratadas por meio de comprimidos específicos.

3. Candidíase

Sendo a infecção por fungos mais conhecida, a candidíase pode ser causada por diversos fungos da família Candida. Ainda que o tipo mais comum, Candida albicans, exista de maneira natural no organismo, ele pode causar problemas. Isso acontece quando a presença do fungo não pode ser limitado pelas barreiras naturais de proteção do corpo. Com defesas prejudicadas, surgem incômodos em regiões como:

  • esôfago;
  • virilha;
  • reto;
  • axilas;
  • mucosas, como a da boca e da região genital;
  • unhas;
  • dedos das mãos e pés etc.

Em seus casos mais graves, essa infecção pode atingir pulmões, rins ou o coração — ao ser disseminada pela corrente sanguínea. Para evitar problemas, o tratamento adequado é essencial. Ele consiste, majoritariamente, em pomadas antifúngicas. Casos mais graves podem pedir a ingestão de compridos ou medicamentos administrados pela veia.

4. Esporotricose

Provocada por fungos da família Sporothrix spp., esta infecção é uma micose. Sua transmissão é bem ampla, em especial uma vez que seus fungos habitam o solo, madeiras, plantas e folhas. Esse, inclusive, é um dos motivos pelos quais os fazendeiros, agricultores e jardineiros são comumente afetados pela Esporotricose. As principais maneiras de adquirir esta micose incluem:

  • contato direto com a pele;
  • baixos hábitos de higiene;
  • arranhadura de gatos contaminados etc.

Além de atingir a pele, situações mais graves podem chegar aos gânglios e à região abaixo da pele, chamada de subcutânea. Como resultado de qualquer uma das infecções se tem o surgimento de um caroço que se desenvolve com o tempo e possui tom avermelhado. Ele é indolor e, em pessoas com baixa imunidade, pode gerar lesões mais sérias e se espalhar pelo sangue, atingindo órgãos.

O tratamento mais comum para essa infecção é feito por meio de antifúngicos de administração oral ou venoso. Apenas um profissional qualificado é capaz de indicar a medicação ideal para cada caso por meio de exames.

5. Aspergilose

Diferentemente das outras, essa infecção por fungos afeta, comumente, os pulmões. Ele provoca lesões que resultam em:

  • febre;
  • tosse;
  • perda de peso;
  • falta de ar;
  • a presença de muco sanguinolento e demais problemas.

Costuma estar presente no ambiente até mesmo caseiro, em locais úmidos como banheiros e cantos. As lesões provocadas na região pulmonar são chamadas de aspergilomas ou bolas fúngicas e são tratadas por meio de antifúngicos potentes. Em casos menos comuns é possível relacionar essa infecção às alergias de fundo respiratório, como otites e sinusites.

6. Paracoccidioidomicose

Sendo provocadas pelos fungos da família Paracoccidioides, a comumente conhecida como blastomicose sul-americana é bastante comum nas áreas rurais. Isso é dito uma vez que seus fungos habitam solo e plantas. Os indivíduos são, em geral, contaminados pelo ar, ao inalar o fungo. Ao atingir a corrente sanguínea, ele se espalha pelo corpo e causa sintomas como:

  • ínguas;
  • falta de apetite;
  • feridas cutâneas;
  • perda de peso;
  • febre;
  • coceiras;
  • falta de ar;
  • tosse etc.

O tratamento, no caso dessa infecção por fungos, pode durar anos. Ele também é feito por meio de antifúngicos potentes. Porém, em situações mais graves, deve ser administrado em ambiente hospitalar.

7. Histoplasmose

Ao ser mais um tipo de fungo que acomete o corpo ao ser inalado, o Histoplasma capsulatum é o último de nossa lista. Ele está presente na natureza e é comumente percebido em pessoas com problemas de imunidade. Exemplos incluem pessoas em tratamento contra o câncer ou com AIDS. Seus principais sintomas incluem:

  • emagrecimento;
  • tosse;
  • falta de ar;
  • suor;
  • febre;
  • dor no peito etc.

Seu tratamento é feito por meio de antifúngicos sistêmicos, caso necessário. Afinal, não é incomum que o corpo combata a doença por si mesmo, em especial nas pessoas saudáveis. Em todo caso, é imperativo consultar o médico caso você perceba qualquer sintoma.

A infecção por fungos é bastante comum e exige expertise médica para ser combatida da forma certa. Por isso, não deixe de se consultar! Além disso, para evitar algumas delas, não se esqueça de cultivar bons hábitos de higiene no dia a dia.

Se você gostou do conteúdo, conheça a forma correta de lavar as mãos e cuide-se diariamente para promover longevidade e passar mais tempo junto a quem se ama!

Powered by Rock Convert

Compartilhe:

“A Nova Idade não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos frequentadores do portal. A Nova Idade repudia qualquer forma de manifestação com conteúdo discriminatório ou preconceituoso.”

Você pode se interessar também:

  Desenvolvido por Ventron